POLICIA RESGATA MULHER REFÉM DE FACÇÃO E PRENDE CRIMINOSOS EM FORTALEZA

Uma mulher de 22 anos, que não teve a identidade revelada , foi resgatada por policias militares em uma casa abandonada na Rua da Consolação, no Bairro Conjunto Palmeiras, em Fortaleza, nesta sexta-feira (22), após ser feita refém e torturada por membros de uma facção criminosa. Dois suspeitos de participação no crime foram presos em uma festa de pré-carnaval próximo ao cativeiro. 


De acordo com o tenente Falcão, comandante da Polícia Militar que coordenou a ação, por volta de meio dia 4 homens invadiram a residência da jovem, localizada no Bairro Planalto Ayrton Senna, colocaram ela dentro de um veículo e saíram em direção ao Conjunto Palmeiras.

No local do cativeiro, a mulher foi espancada e torturada pelos criminosos, que pertenciam a uma facção rival. Conforme a vítima relatou para a polícia, os suspeitos ligaram para detentos do presídio para saber o que fariam com ela, mas como não conseguiram contato deixaram ela presa na casa esperando uma decisão e saíram. A vítima foi encontrada devido a denúncias anônimas. Ela teve o rosto desfigurado, o cabelo cortado e a perna esquerda ferida. 

Após o resgate da vítima, a polícia fez buscas pela região e durante a noite conseguiu capturar dois suspeitos. Eles foram identificados como Francisco David Souza de Oliveira, 19 e Júlio César Lopes dos Santos, 21, que possui antecedentes criminais por homicídio. Eles foram presos e encaminhados para o 30° Distrito Policial, no Conjunto São Cristóvão.

Conforme a polícia, o crime teria sido motivado porque a mulher, que possui antecedentes criminais, se negou a fazer parte da facção criminosa que comanda a área onde ela foi morar depois de sair do presídio. Além disso, o bairro onde a vítima morava anteriormente era de uma facção rival. A polícia realiza buscas para tentar capturar os outros envolvidos no rapto e tortura da jovem.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.