BOLSONARO PASSOU DE CHIBATA MORAL MAS DEVE EXPLICAÇÕES SOBRE O LARANJAL, DIZ CIRO GOMES

O ex-ministro Ciro Gomes cobrou do presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira, explicações sobre escândalos de corrupção que batem á porta do governo nas últimas semanas. Essa foi sua reação ao ser indagado sobre a exoneração de Gustavo Bebianno da secretária-geral da Presidência da República. Gustavo Bebianno caiu por estra envolvido em candidatura “laranjas” do PSL.

Segundo Ciro Gomes, que foi candidato a presidente pelo PDT, o que está em jogo é o “padrão moral” que Bolsonaro prometeu em campanha, quando adotou a postura de “chibata moral” da Nação.

“Se ele (Bolsonaro) era a chibata moral da Nação, agora o que tem que ser explicado concretamente é a extensão desse laranjal que envolve o filho dele, senador Flávio Bolsonaro (PSL-Rio), o cheque do Queiroz (motorista) – de R$ 25 mil, para a primeira-dama e o alegado empréstimo que Bosonaro teria feito com Queiroz e a ligação dele com as milícias”, cobrou o ex-ministro.


Indagado se teria encerrado a trégua que dera, no começo da gestão Bolsonaro, quando apregoou oposição vigilante em nome da governabilidade do País, Ciro reagiu: “Não. Pra mim não existe trégua. O que existe é que ele, tendo tido a maioria dos votos, tem direito de tomar pé do governo. Agora tem jornalista pentelho que fica perguntando pra gente fora de hora e a gente tem que responder (risos).”

Ciro, que liberou o deputado federal Mauro Filho (PDT) para expor à equipe de Bolsonaro a sua proposta de reforma da Previdência quando foi candidato a presidente pelo PDT, deixou claro: não vai apoiar a proposta anunciada pelo governo federal. Essa proposta será entregue pelo próprio presidente ao Congresso nesta quarta-feira.

“Nenhuma chance. Porque ela prejudica os trabalhadores, especialmente os mais humildes. Não é razoável que uma pessoa que trabalha de gravata num ambiente de ar-condicionado tenha a mesma idade mínima para se aposentar de um trabalhador rural do Nordeste. Isso não é razoável e não vamos aceitar isso em nenhuma hipótese”, assegurou o ex-ministro.

O PDT debaterá hoje, em Brasília, o tema reforma da Previdência com a bancada federal em Brasília. Ciro e o deputado federal Mauro Filho, este foi o coordenador do seu plano de governo quando candidato a presidente, comandarão o encontro, tendo a coordenação do deputado federal André Figueiredo, líder do PDT na Câmara.

OPOVO

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.