GUARACIABA: TORRE DE BABEL NA CÂMARA MUNICIPAL


Ocorreu na noite desta segunda-feira, 26, uma sessão bastante tumultuada e confusa na Câmara Municipal de Guaraciaba do Norte. A grande expectativa por conta da eleição da mesa diretora da casa para o biênio 2019/2020, levou um grande publico de apoiadores tanto oposicionistas como situacionistas,  que lotou as dependências e a galeria próxima ao plenário.

AS CHAPAS

Concorriam duas chapas. A primeira, de oposição, foi composta da seguinte forma: Presidente - Claudio Lopes, Vice-Presidente - Zé Mário, 1º Secretário - Ariecílio Nobre e 2º Secretário - Gerardo Marques. A segunda, de situação, foi composta da seguinte forma: Presidente - Elisiário Júnior, Vice-Presidente - Regiane Sousa, 1º Secretário - Eliane Passos e 2º Secretário - Júlio César.

ESTRATÉGIAS E TROCA-TROCA.

Toda a expectativa em torno do episódio da eleição, ganhou ainda mais destaque pelo fato de o grupo de oposição formado por sete Vereadores (Ariecilio, Claudio Lopes, Cicero da Martinslândia, Alvimar, Zé Mário, Assis Nonato e Gerardo Marques), ter se retirado do município de Guaraciaba do Norte e segundo declaração do Vereador Cícero, estavam escondidos para não receber dinheiro, fazendo uma clara referência a um suposto assédio por compra de voto para a eleição da mesa. 

Outro detalhe em destaque, é o fato de o grupo hoje oposicionista está sendo composto por quatro Vereadores que foram eleitos juntos no grupo do Prefeito Dr Adail Machado (MDB), sendo eles Ariecílio, Assis Nonato, Cícero e Cláudio Lopes. Houve também a migração da Vereadora Eliane Passos que deixou a oposição para compor a base de apoio do prefeito na Câmara. 

Numa matemática simples, o Prefeito Dr Adail foi eleito com nove Vereadores, ganhou mais uma e ficou com dez, mas como perdeu quatro hoje tem seis, portanto a minoria.

ORDEM JUDICIAL

Depois de lidas as composições das chapas concorrentes, foi lido uma ordem judicial (Mandado de Segurança) concedido pela Dra Juliana Bragança, Juíza da Comarca de Guaraciaba do Norte, tendo como peticionante o Vereador Claudio Lopes em desfavor da mesa diretora, onde foi determinado que a eleição da mesa diretora teria que acontecer na data de 26 de novembro, fato este que foi desconsiderado pelo Presidente Julio César que mais tarde encerraria a sessão sem dá cumprimento a decisão judicial.

REQUERIMENTO PAFÚNCIO

A sequência a partir de então, se mostrou uma verdadeira pândega que, certamente culminará em querela, ficando a cargo do poder judiciário dá a palavra final após avaliação e juízo da Meritíssima. 

Foi apresentado um requerimento do Vereador Jaques Carvalho, solicitando a impugnação da Chapa de oposição alegando que três dos componentes possuem pendências judiciais e que por este fato não teriam condições morais de conduzir o poder legislativo. Segundo um jurista ouvido por nossa reportagem "...o requerimento é estapafúrdio pois não apresenta nenhum embasamento legal e visa simplesmente gerar um fato procrastinatório, que seria transformado em um motivo, e que culminaria no encerramento de uma sessão orquestrada desde o inicio para ser encerrada sem que houvesse a eleição".

Segundo uma fonte bastante conhecedora do Regimento Interno e da Lei Orgânica, qualquer um dos Vereadores, no exercício efetivo titular de seu mandato, poderia pleitear aos cargos da mesa diretora. Um outro detalhe sobre o requerimento do Vereador Jaques, foi a forma interpretativa e dramática como foi lida pelo Vereador Elisiário Júnior, com pausas e impostações que não deixam a dever a nenhum grande dramatúrgico. 

CLIMA TENSO

A galeria repleta de apoiadores dos dois lados, interferiam a todo tempo no desenrolar da sessão com gritos, palavras de ordem e xingamentos. Um forte aparato policial, bem como um grupo de segurança particular, se fez presente visando manter a ordem, já que o existiam boatos de que a sessão poderia ser, propositadamente tumultuada, para que houvesse o motivo de encerrar para impedir a votação da eleição.


Em dado momento, houve bate boca ofensivo entre um dos presentes e o Vereador Cícero da Martinslândia, onde depois de ser chamado de traidor, Cícero respondeu como Ciro Gomes dizendo:"AÍ DENTRO"!

O FECHA E ABRE DA SESSÃO

Depois de lido o requerimento o Presidente suspendeu a sessão para analise do Jurídico da casa e ao retornar, alegando precisar de mais tempo para análise, declarou encerrada a sessão marcando a próxima para o dia 03 de dezembro. O Presidente e os Vereadores da base do Prefeito deixaram imediatamente e juntos o plenário sob forte manifestação de apoiadores e opositores. Os Vereadores do grupo de oposição permaneceram em plenário mostrando grande indignação com o que chamaram de teatro comandado pelo Presidente Júlio Cesar, comparando-o ao famoso cachorro de desenho animado "scooby doo", numa referencia a que este seja uma marionete do Prefeito. Reunidos no Plenário, os sete vereadores resolveram dar sequencia a sessão. 

A VOTAÇÃO

O Vice-Presidente Assis Nonato, alegando cumprimento a ordem judicial que determinou a realização da eleição na data de 26 de novembro, reabriu a sessão que havia sido encerrada, colocou o requerimento do Vereador Jaques Carvalho em votação, onde foi derrubado por unanimidade dos presentes. Em seguida leu novamente a composição das chapas protocoladas e deu inicio a votação onde os vereadores de forma acalorada expressaram apoio e declararam o voto na chapa encabeçada pelo Vereador Claudio Lopes para delírio dos que permaneceram na galeria. Os vereadores aguardaram nas dependências da casa a ata que foi aprovada e assinada pelos presentes.

SEM RESSENTIMENTOS 

Estiveram presentes na sessão de ontem o Vice-Prefeito de Guaraciaba do Norte Egberto Filho e o ex-Prefeito Regivaldo Cavalcante que trabalharam unidos para a formação da chapa de oposição permanecendo juntos na galeria durante toda a sessão, inclusive aguardando até o final e estando presentes numa cerimonia de comemoração que aconteceu após o término de todo processo.

A imagem pode conter: Cicero Ribeiro e Ariecilio Nobre, pessoas sorrindo, pessoas em pé

Outra aproximação antes tida como pouco provável foi a dos Vereadores Ariecílio Nobre e Cícero da Martinslândia. Antes desafetos com embates efervescentes, hoje ambos afirmam que irão trabalhar juntos pelo bem maior do povo de Guaraciaba.

FIM? 

Com todos esses fatos narrados, muitas são as possibilidades dos desdobramentos no campo jurídico. Há quem aposte que a sessão reaberta será facilmente anulada e outra ocorrerá para a eleição da mesa. Neste caso o Prefeito Adail estaria ganhando algum tempo para tentar reverter pelo menos um voto e virar o jogo retomando o legislativo. Confrontamos a todos os sete Vereadores se em caso de outra eleição poderiam mudar o voto e todos afirmaram que não.

Outra possibilidade aventada é que a sessão reaberta seja mantida pois tinha por base a decisão da Magistrada que determinou a realização da eleição na data de 26 de novembro, decisão esta que não foi cumprida pelo Presidente Júlio César. 

Situação e oposição certamente irão imediatamente à justiça para defender seus interesses. O que nos resta agora é aguardar o desdobramento do final dessa novela.

DIRETO DA REDAÇÃO POR CYRO LEOPOLDO.

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.