CAMILO SANTANA CRITICA SAÍDA DE MÉDICOS CUBANOS DO MAIS MÉDICOS

O governador do Ceará, Camilo Santana, criticou, na manhã desta sexta-feira (16), a saída de médicos cubanos do "Mais Médicos" após as condições impostas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para a continuidade de Cuba no programa federal. A declaração se dá dois dias após o anúncio, feito na quarta-feira (14).


"Isso deverá causar um enorme prejuízo, principalmente em alguns municípios onde os médicos cubanos desempenham importante papel nas unidades básicas de saúde", disse o governador em sua conta no Facebook. "Não se pode tomar medidas de tamanha relevância e impacto à revelia de estados, municípios e, principalmente, do povo que é diretamente atingido", criticou.

"Isso deverá causar um enorme prejuízo, principalmente em alguns municípios onde os médicos cubanos desempenham importante papel nas unidades básicas de saúde"

O Ceará deve perder 448 profissionais cubanos que, hoje, atuam em 118 municípios. O efetivo representa 36% dos médicos atuando pelo Programa no Estado.

A decisão de sair do País foi anunciada pelo governo cubano após Bolsonaro anunciar mudanças no projeto do governo consideradas "inaceitáveis" por Cuba.

O país caribenho solicitou o retorno dos mais de 8 mil médicos cubanos da cooperação internacional no Brasil atualmente. O presidente eleito questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência deles no programa a um teste de capacidade por meio do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). Além disso, Bolsonaro impôs a contratação individual dos profissionais.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.