ESTADO CONTABILIZA 3.500 HOMICÍDIOS NESTE ANO

O mês de setembro foi o mais violento dos últimos seis meses no Ceará. 391 pessoas foram vítimas de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) - homicídios latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Entretanto, o último mês apresentou queda de 15% em comparação a igual período do ano passado, quando 460 pessoas foram mortas. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).


No comparativo com agosto deste ano, o mês de setembro teve um aumento de 11% no número de assassinatos, subindo de 352 casos para 391. Segundo o secretário de Segurança Pública, André Costa, uma das causas para esse crescimento é a grande sensação de impunidade, pois "tanto isso é negativo para a população, que por conta da impunidade tem medo de denunciar, de testemunhar. Como isso é negativo aos criminosos, que muitas vezes praticam o crime achando que não vão ser presos", afirma.

De janeiro a setembro deste ano, já foram registrados 3.501 homicídios no Estado, o que representa uma média de 12,6 pessoas assassinadas por dia. Apesar do número alto, houve um redução de 5,2% se comparado com o igual período do ano passado. Em 2017, 3.693 mortes foram registradas nos nove primeiros meses do ano. O secretário de Segurança atribui a redução a um trabalho integrado entre as polícias Civil e Militar. "A gente vem trabalhando junto, muito próximo aos distritos e também dos comandantes de batalhão das áreas. Então, muitas vezes, nas operações, as investigações da DHPP e também dos próprios distritos que tem as suas investigações são sempre apoiadas pela Polícia Militar", afirma o secretário.

Região Norte

Mesmo recebendo investimentos na área de segurança - como instalação de câmeras e aumento do efetivo de policiais do Batalhão de Policiamento Raio -, a Região Norte apresentou o maior crescimento no número de assassinatos entre as quatro regiões do Estado, no acumulado do ano.

Em 2018, 752 pessoas foram mortas na Região entre janeiro e setembro. Já em 2017, foram 614 ocorrências letais em igual período, o que significa um aumento de 22,5% neste ano. Para André Costa, "é preciso melhorar a atuação na Região. Se lá não está tendo os mesmos resultados que temos na Capital, Região Metropolitana, no Interior Sul, então precisa haver uma análise em conjunto da segurança para entender o que está acontecendo na região".

Outros Crimes

No acumulado do ano, o Ceará também registrou 40.950 Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP1) - roubo à pessoa, roubo de documentos e outros roubos. Uma redução de 15,6% se comparado com janeiro a setembro de 2017, quando foram registrados 48.503 casos desse tipo. Já no comparativo dos meses de setembro, este ano foram registradas 4.025 ocorrências, enquanto houve 5.323 casos no ano passado - redução de 24,4%.

Já os Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP2) - roubo a residência, roubo com restrição de liberdade da vítima, roubo de carga e roubo de veículos - somam 8.206 este ano. Se comparado com 2017, houve uma redução de 16%, quando foram registrados 9.765 casos. O mês de setembro deste ano registrou 801 casos deste tipo, enquanto houve 1.085 ocorrências em igual período do ano passado - queda de 16%.

O número de furtos também caiu, tanto no acumulado do ano quanto no comparativo dos meses de setembro. Em 2018, foram registrados 41.583 furtos, enquanto em 2017 foram 44.423 casos - ou seja, uma queda de 6,4%. Já em setembro deste ano foram 4.538 ocorrências deste tipo e no igual período do ano passado, 4.872.

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.