BRANCOS E NULOS REPRESENTAM MAIS DE 22 MILHÕES DE ELEITORES BRASILEIROS

Se de um lado há eleitores indecisos entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), outra parcela, ainda mais robusta, demonstra descrença política e não se vê representada pelos dois projetos. Segundo o Ibope da última terça-feira (23), no cenário espontâneo, quando os nomes não são relacionados aos entrevistados, votos brancos e nulos somaram 15% do eleitorado brasileiro. No comparativo com o universo de 147,3 milhões de votantes aptos para as eleições deste ano, a parcela pode ser traduzida em 22,09 milhões de pessoas.


O número é superior à diferença entre os dois postulantes e apresentou crescimento desde o último levamento. No dia 15 de outubro, a primeira pesquisa do Instituto Ibope no segundo turno divulgou 12% de brancos e nulos. O aumento em 3% no intervalo de oito dias, no mesmo cenário, pode ser relacionado à queda do militar reformado de 47% para 42%, enquanto o petista passou de 31% para 33%, na contagem de votos totais.

A maioria dos eleitores dispostos a votar em branco ou a anular o voto é do sexo feminino (11%), tem entre 45 e 54 anos (18%), está situada no público com ensino médio (17%), com renda familiar de um a dois salários mínimos e residente na periferia (19%) da região Sudeste do País.

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.