APÓS 10 ANOS DO CASO ELOÁ, AMIGA SOBREVIVENTE DEVE RECEBER R$ 150 MIL

Em segunda instância, a Justiça de São Paulo condenou o governo de São Paulo a indenizar, por danos materiais, morais e estético, Nayara Rodrigues, em R$ 150 mil. Nayara foi atingida com um tiro no maxilar durante o sequestro de Eloá Pimentel, em 17 de outubro de 2008. As duas foram mantidas em cárcere privado por Lindemberg Alves, que não aceitava o fim do relacionamento com Eloá, morta, ao fim do sequestro, pelo ex-namorado. 


Nayara foi liberada pelo sequestrador, mas voltou ao local do cárcere dois dias depois por orientação policial. Á época, especialistas criticaram a decisão. De volta à casa, Nayara foi atingida com um tiro no maxilar e Eloá assassinada, após entrada da polícia no apartamento - a justificativa dos agentes para entrar no local foi de que ouviu-se um disparo. No entanto, isso não aconteceu. 

A Procuradoria-Geral de São Paulo afirma que apresentou recurso contra a decisão. Porém, a Justiça não definiu data para avaliação do recurso. 

A decisão de que o Estado pague Nayara foi publicada em 19 de setembro, assinada pelo desembargador Evaristo dos Santos. A decisão é baseada no argumento de que a vida de Nayara foi colocada em risco pela Polícia Militar, ao autorizar o retorno ao cativeiro.

O POVO

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.