COLÔMBIA ATINGE NÍVEL RECORDE DE ÁREA CULTIVADA DE COCA

ONU aponta país latino-americano como maior produtor de cocaína do mundo. Área das plantações ilegais cresceu 17% em 2017, chegando a 171 mil hectares. Problema põe em risco relações com os EUA.A Colômbia segue registrando um aumento na área cultivada de folha de coca e, em 2017, atingiu o nível recorde de 171 mil hectares, afirma um relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) publicado nesta quarta-feira (19/09).


O número representa um crescimento de 17% em relação a 2016, quando a área cultivada era de 146 mil hectares. A tendência de aumento é registrada há pelo menos quatro anos, tendo o território colombiano de produção de coca triplicado desde 2013.

Segundo o UNODC, os atuais 171 mil hectares são suficientes para produzir 1.379 toneladas de cocaína – o nível mais alto desde que o órgão começou a fazer medições, em 2001. Essa quantidade valeria até 2,7 bilhões de dólares no mercado local.

Com tamanha área, a Colômbia figura como o maior produtor de cocaína do mundo, seguida do Peru, com 43,9 mil hectares, e da Bolívia, com 24,5 mil hectares.

Em território colombiano, grande parte do cultivo de folha de coca é localizada em regiões próximas a fronteiras, sendo as mais afetadas aquelas que fazem divisa com o Equador e a Venezuela, afirma o relatório da ONU.

É o caso do departamento de Nariño, perto da fronteira equatoriana, que – com 45,7 mil hectares de área cultivada, superando a registrada em todo o Peru – segue sendo a região colombiana com mais plantações de folhas de coca.

Nariño é disputado entre cartéis do tráfico de drogas, bem como pelo grupo guerrilheiro Exército de Libertação Nacional (ELN) e dissidentes das antigas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e de antigos grupos paramilitares de direita.

A região é considerada um ponto estratégico por possuir o segundo maior porto da Colômbia no Oceano Pacífico, o que facilita a distribuição de cocaína para a América do Norte, por exemplo – os Estados Unidos figuram como o maior consumidor da droga.

Enquanto isso, em outros departamentos, como os de Antioquia, Putumayo, Norte de Santander e Cauca, o aumento das plantações alcançou até 64% em 2017 ante o ano anterior, revelou o documento do UNODC.

Os dados divulgados pelas Nações Unidas foram baseados em imagens de satélite, bem como verificações em campo, e estão em linha com os resultados apresentados pelo governo dos Estados Unidos no início deste ano.

A Colômbia é um dos principais aliados de Washington na América Latina, mas a expansão da produção de coca tem testado a relação entre os dois países. O presidente americano, Donald Trump, ameaçou recentemente revogar a parceria entre seu país e Bogotá na guerra contra as drogas se essa tendência de crescimento não for revertida.

Diante da situação, o presidente da Colômbia, Iván Duque, afirmou que seu governo apresentará nos próximos dias uma "política integral", que inclui entre as medidas "fortalecer as capacidades [colombianas] de intervenção aérea, marítima e terrestre" e "desmantelar completamente a rede de abastecimento" desses produtores.

Ao assumir a presidência, em 7 de agosto, Duque descreveu o surto de coca como um risco de segurança nacional. Ele prometeu eliminar, ao longo de seus quatro anos de mandato, ao menos 140 mil hectares de plantações ilegais.

O POVO

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.