HOMEM É PRESO POR FURTAR ENERGIA E APLICAR GOLPES EM APP DE TRANSPORTE E TV A CABO

Um homem foi preso em Fortaleza nessa quinta-feira, 7, após meses fraudando contas do aplicativo de transporte particular 99 Pop. A denúncia, que surgiu da própria empresa, foi feita no 8º Distrito Policial (DP), que cobre a região onde ele agia. Suerlan Mateus Rodrigues de Jesus, de 21 anos, foi preso em flagrante, mas por outro crime: furto de energia.

Material apreendido

O delegado do 8º DP, Giovani Moraes, explica que que Suerlan criava contas de motorista e passageiro no aplicativo com nomes diferentes, e foi identificado ao usar a própria foto em todos os cadastros. Em muitos casos, ele mesmo solicitava e aceitava a corrida. 

"Os cadastros eram feitos com cartões de crédito de terceiros que eram aceitos no aplicativo. Ele confessou que recebia pagamento e, em alguns casos, a operadora de crédito verificava a fraude e não repassava para a empresa", afirma o delegado. "Ele também vendia corridas longas, como para Canoa Quebrada, por R$ 600. Só que ele não fazia a corrida. Ele chamava outro motorista e dividia o valor pela metade para cada um".

A investigação começou em fevereiro, quando a 99 Pop fez a denúncia. Ao cumprir o mandado de busca e apreensão, a Polícia descobriu outro golpe: venda de pacotes de TV por assinatura e locação dos pontos. 

Até então sem passagem pela Polícia, Suerlan Mateus usava um sistema de hackers com dados de cartões de crédito. "Ele ia testando os números e vendo qual era aceito pela empresa. Fazia cadastro no nome das vítimas, vendia o pacote mais caro com seis pontos e alugava cada um por R$ 100", detalha o delegado. 

Suerlan foi preso na própria residência, no bairro Mondubim, onde mora com a esposa e o filho dela. Ela e a criança não estavam em casa na hora do flagrante. Na ação policial, participaram o delegado, três inspetores e um advogado da empresa de transporte particular.

Na residência, a Polícia apreendeu 320 chips de telefones de várias operadoras, cartão de crédito e um cartão de motorista da 99, além de um notebook usado para aplicar o crime e aparelhos obtidos por dinheiro ilícito, como um PlayStation 3, uma TV, três celulares e um tablet. 

Flagrante 

Apesar das investigações, o suspeito foi preso em flagrante por furto qualificado de energia. Na ação policial, a equipe desligou o disjuntor da residência e percebeu que os equipamentos eletrônicos continuaram funcionando. A energia do imóvel estava cortada há, pelo menos, seis meses. Ele faturava pelo menos R$ 4 mil, por mês, pelas corridas fraudadas no aplicativo. A maior parte da renda, no entanto, era por meio da locação de pontos de TV por assinatura.

"Agora que o inquérito está sendo instaurado, o próximo passo é ouvir outras pessoas que foram lesadas e tentar identificar proprietários dos cartões que foram utilizados. Vamos ouvir também motoristas que possam ter feito alguma corrida com ele. É uma teia, várias pessoas concatenadas", pontua o delegado Giovani Moraes. Após a investigação, o suspeito pode ser indiciado pelos crimes de estelionato, falsificação ideológica e falsificação de documento. 

A esposa do suspeito, que pediu para não ser identificada, falou à reportagem que não sabia dos trabalhos ilícitos do marido. "Trabalho fora de casa o dia todo e não perguntava muito do trabalho dele porque ele não fala. Só conta que trabalhava com aluguel de pontos de TV por assinatura", disse. 

O POVO

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.