CHACINA EM QUIXERAMOBIM DEIXA PELO MENOS 4 MORTOS

Três mulheres e um homem foram assassinados a tiros em uma chacina ocorrida na noite de ontem, no Assentamento Irmã Tereza, no bairro Conjunto Esperança, localizado no Município de Quixeramobim, distante 206 Km de Fortaleza.


De acordo com a Polícia Militar (PM), as vítimas estavam em um barraco quando foram surpreendidas e executadas por um grupo de homens armados de pistola. Ao ouvirem o tiroteio, os vizinhos correram. 

À reportagem, um policial civil informou que as vítimas ainda não haviam sido identificadas, mas que se tratavam de adolescentes e jovens com idades entre 15 e 20 anos de idade, e que, aparentemente, não moravam no local, nem eram trabalhadores rurais. O corpo do homem foi encontrado ao lado de um colchão. 

As três mulheres estava juntas, no banheiro do barraco. No quintal foram encontradas as iniciais “CV”, que fazem menção à facção criminosa carioca Comando Vermelho.

Nesta semana, dois homens já haviam sido assassinados em Quixeramobim. Uma das vítimas foi o estudante Dheivison Kelvin Rodrigues da Silva, conhecido como “Deivinho“, 21 anos. Ele retornava para casa, no mesmo bairro onde ocorreu a chacina, quando foi abordado por dois homens e alvejado por 18 disparos de arma de fogo.

O outro homicídio foi registrado no início da madrugada do último dia 25. O servente de pedreiro Leandro Vidal dos Santos, 24, foi assassinado dentro do imóvel em que residência, no Conjunto Jardim Norte I. Familiares da vítima informaram à Polícia Civil que dois homens arrombaram a porta de entrada da casa, em seguida, a porta do quarto da vítima, que estava dormindo, e o executaram com 24 tiros de pistola calibre 380. 

Outros casos

O Estado do Ceará registrou 15 chacinas nos últimos três anos. Desse total, Fortaleza aparece em primeiro na estatística, ao contabilizar sete casos desde 2015. As mortes estariam ligadas à guerra entre integrantes das facções criminosas CV, Guardiões do Estado (GDE) e Primeiro Comando da Capital (PCC).

Serviluz, Tancredo Neves, Curió, São Miguel, Bom Jardim, Sapiranga, Cajazeiras, e Benfica. Bairros de diferentes regionais da Capital foram assolados com os disparos que antecederam às mortes de 50 pessoas.

Em 2018, o Ceará registrou três chacinas: ‘das Cajazeiras’, ‘do Benfica’ e ‘de Itapajé’. Entre essas, a maior da história do Estado: 14 pessoas assassinadas, no ‘Forró do Gago’. A facção criminosa Guardiões do Estado (GDE) assumiu a autoria da barbárie, que ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro.

As mortes não se restringiram apenas à Capital. Municípios como Sobral, Limoeiro do Norte, Pacatuba, Aquiraz, Horizonte, Paraipaba, Maranguape e Itapajé são os outros locais afligidos com as mortes múltiplas. Nesse último caso, 10 pessoas foram assassinadas dentro da Cadeia Pública do Município em uma guerra entre grupos rivais dentro do presídio.

Nota do MST

De acordo com nota do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o acampamento Irmã Tereza foi uma área ocupada pelo MST há 5 anos. "Mudaram o local do acampamento ano passado a partir de um processo de negociação com o proprietário Luiz Girão e Governo do estado do Ceará. Atualmente, as famílias que residiam no Acampamento Irmã Tereza residem agora nos conjuntos habitacionais Jardim Norte I e Jardim Norte II, outras moram no Acampamento Nova Canudos, próximo ao Hospital Regional".

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.