ESTADO DEVE FOCAR EM AÇÕES PARA REDUZIR DESIGUALDADES SOCIAIS

Governo do Estado deverá focar ações para tentar diminuir questões de desigualdade social estabilizar a distribuição de renda nos próximos 30 anos. A colocação foi feita pela vice-governadora, Izolda Cela, durante o primeiro dia do seminário "O Ceará que será em 2050". O evento é uma extensão do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Longo Prazo - Ceará 2050, lançado em outubro pelo governador Camilo Santana.


De acordo com Izolda Cela, no entanto, o Estado dependerá da colaboração de instituições para atingir a meta até a conclusão do programa, daqui a 30 anos. A vice-governadora aproveitou a oportunidade destacar que o Estado conseguiu importantes resultados na educação e que todo esse progresso está integrado ao trabalho de redução de desigualdades econômicas e sociais, considerando o planejamento de futuro.

Projeção

"Nós podemos projetar um Ceará, para 2050, com mais justiça social, e que consiga distribuir renda. E essas pessoas que estão discutindo aqui nesse seminário é que vão dizer as diretrizes. Além disso, elas vão precisar ter um sentido cívico, de nobreza e comprometimento para fazer o que precisa ser feito, e que não vai ser feito em um governo só", disse Izolda.

Opinião corroborada por Denis Balaguer, diretor do Centro de Inovação da EY, comentando que se não houver união das instituições da sociedade civil para gerar bons níveis de governança com o poder público, será praticamente impossível de vencer os obstáculos para chegar nas metas para 2050.

Potencial

"O Ceará tem algumas base bem singulares em comparação com o resto do País, e toda essa discussão de desenvolvimento do Estado passa pela qualidade das pessoas e o Ceará tem uma alavanca muito forte para conseguir esse avanço, mas vai precisar de cooperação", analisou Denis.

Apesar de ainda não possuir metas definidas e não ter uma perspectiva geral do fim do programa Ceará 2050, que gerou o seminário, o professor da UFC e coordenador do evento, José de Paula Barros Neto, acredita que o Estado vem demonstrando potencial para competir com os grandes centros comerciais no Brasil, nos próximos 30 anos.

A análise é baseada a partir da projeção de crescimento depois da chegada dos últimos investimentos tecnológicos trazidos ao Estado, como os cabos de conexão intercontinental da Angola Cables, e os novas estruturas de data centers construídas nos últimos anos, além dos projetos fomento a indústria.

Perspectiva

"Eu acho que, se trabalharmos conjuntamente, podemos chegar a um patamar de competir com os grandes centros de tecnologia não apenas no Brasil, mas também no mundo", disse Neto.

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, César de Ribeiro ainda comentou que esses investimentos já estão servindo de ponto de partida para atingir as metas que serão traçadas pelo Ceará 2050.

"A gente está criando um cenário de oportunidades a partir de passos que já foram dados. O Estado está realizado vários projetos, então já partimos com uma linha de frente bem construída, disse Ribeiro.

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.