BANCADA CEARENSE REPERCUTE JULGAMENTO E PRISÃO DE LULA

Logo após a decisão do juiz Sérgio Moro determinando a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a deputada Luizianne Lins (PT) externou nas redes sociais o seu repúdio ao fato. "Mais uma vez se confirma a ação da engrenagem que persegue os que defendem o povo. A máquina do poder produz um mandado de prisão contra o maior líder popular da História do Brasil."



O deputado Danilo Forte (DEM) considerou o fato como "lamentável" e disse: "É triste uma nação ver um grande líder popular passando por momento como esse e fica o exemplo de que devemos ter maior cuidados com a gestão e com o uso de dinheiro público".

Para o deputado Domingos Neto (PSD) a determinação do Moro era questão de tempo e ele só estava aguardando o julgamento dos embargos. "A decisão da prisão foi tomada ontem no Supremo, o Moro apenas definiu a data", disse. 

Em nota, o senador José Pimentel (PT) alegou que a prisão de Lula representa uma violência política e jurídica, além de se tratar de uma perseguição para exclui-lo do processo eleitoral neste ano. "É um atentado ao Estado Democrático de Direito e às garantias constitucionais. Tentam impedir a candidatura de Lula à presidência da República, mas resistiremos junto com as forças democráticas do Brasil até que a Justiça seja restabelecida", declarou.

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de negar o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi considerada pelo líder da oposição, deputado José Guimarães (PT) como um ato triste para a democracia brasileira. “O STF desrespeitou a Constituição e não vamos ficar calados e muitos menos imobilizados”, completou.

Na avaliação do deputado José Airton (PT), a decisão foi "injusta e incompreensível", já que em outros casos como o do senador Aécio Neves o Supremo deliberou a favor do acusado e não decretou a prisão do parlamentar tucano. "Espero que a justiça seja feita e vamos lutar até o fim para que a inocência de Lula seja comprovada", disse.

O deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB) informou que o resultado do Supremo já era esperado mas a decisão gerou uma instabilidade na Justiça. "No julgamento anterior o supremo errou. Precisamos dar mais clareza a Constituição e defendo inclusive uma Assembleia Constituinte para garantir a eficácia da lei e dos poderes autônomos", disse.

A VOZ DE SANTA QUITÉRIA

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.