PROCON ABRE PROCESSO CONTRA CORREIOS POR FALTA DE PLANO DE INDENIZAÇÃO DE CONSUMIDORES

O Procon Fortaleza, órgão de defesa do consumidor, afirmou nesta segunda-feira (19) que abriu processo administrativo contra os Correios para que a estatal apresente num prazo de até 10 dias um plano de ressarcimento dos clientes prejudicado com a perda de correspondências ou produtos destruídos no incêndio no Centro de Triagem dos Correios em Fortaleza.

Galpão do centro de triagem ficou destruído após incêndio (Foto: Arquivo pessoal)

O Centro de Triagem de Cartas e Encomendas (CTCE) dos Correios, na Avenida Oliveira Paiva, pegou fogo por volta das 15h50 desta terça-feira (13). As chamas começaram no galpão de 10 mil m² do centro, onde é feita a triagem de cartas e encomendas que serão entregues pelas unidades da empresa no estado. O galpão ficou inteiramente destruído. Apenas a parte administrativa não foi consumida pelo fogo.

Os Correios afirmam que só podem apresentar um plano de ressarcimento após uma perícia para identificar as causas do incêndio. Para o Procon, a análise da Perícia não pode prejudicar o andamento desse ressarcimento. E, caso o Procon não aceite as justificativas dos Correios, eles podem ser multados em até 11 milhões de reais.

O processo administrativo do Procon contra os Correios após o fim do prazo de três dias para que a estatal apresente um plano de ressarcimento, que esgotou nesta segunda-feira.

Consumidores prejudicados

Os Correios recomendam que, caso o remetente de uma encomenda verifique no Sistema de Rastreamento que o objeto está encaminhado para o CTCE Fortaleza e o prazo de entrega estiver vencido, a orientação é para que registre uma manifestação nos canais de atendimento da empresa, pela internet ou pelo telefone 0800-725-0100.

Os destinatários das encomendas nessa situação devem entrar em contato com a loja ou vendedor onde a compra foi realizada, conforme orientação dos Correios.


G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.