MINISTRO DA SEGURANÇA DEMITE DIRETOR DA PF NO PRIMEIRO ATO

O novo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, decidiu trocar o comando da Polícia Federal (PF), que foi transferida do Ministério da Justiça para a nova Pasta. Fernando Segovia será substituído pelo delegado Rogério Galloro.

Image-0-Artigo-2368276-1

Ele era o preferido do ministro da Justiça, Torquato Jardim, para assumir a PF no momento em que Segovia foi nomeado, em novembro. Em troca, Torquato o escolheu para comandar a Secretaria Nacional de Justiça.

A demissão ocorre após Segovia ter causado polêmica ao declarar, para a agência Reuters, que o inquérito que investiga o presidente Michel Temer poderia ser arquivado e que o delegado responsável pelo caso poderia ser punido.

Além do comentário sobre o resultado do inquérito, Segovia também fez ressalvas ao trabalho do delegado Cleyber Malta Lopes, responsável pelas 50 perguntas feitas ao presidente.

Perfil

Já o novo diretor da PF ocupou inúmeras chefias da PF e por cinco anos foi professor da Academia Nacional de Polícia. Galloro foi também o representante da Polícia Federal junto a ICAO (Organização de Aviação Civil Internacional) em Montreal e coordenou o projeto do Novo Passaporte Brasileiro em 2006. 

Galloro começou sua carreira na PF como delegado em 1995 e atuou em unidades de repressão à drogas, à crimes fazendários e de inteligência policial. 

Posse

Em seu discurso de posse no cargo, Jungmann criticou a classe média que pede segurança, mas, ao mesmo tempo, consome as drogas ilícitas que financiam o crime organizado. Ele também defendeu um papel maior do governo federal na segurança, cuja responsabilidade hoje recai principalmente sobre os estados.

O Ministério de Segurança Pública vai coordenar a integração de todos os serviços de segurança pública em todo o território nacional, assumindo a maior parte das ações federais em segurança. Passam a ser vinculados ao novo ministério a PF, Polícia Rodoviária Federal e o Departamento Penitenciário Nacional.

Cearenses

A demissão de Segovia repercutiu entre os congressistas cearenses. O líder do PDT, André Figueiredo, considerou uma decisão acertada do novo ministro. 

“A demissão de Segovia era o mínimo que poderíamos esperar do ministro da Segurança”.

Para o líder do PSD, Domingos Neto, Jungmann agiu corretamente em demitir o delegado.

Sobre a troca de comando da PF, o líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE) não quis fazer declarações. “Isso não é assunto de oposição, é assunto de governo e não temos que nos meter nessa cumbuca”, disse.

Saiba mais

08/11/2017 - Imprensa publica que Temer escolheu Segovia para a PF e que seria indicação do ex-presidente José Sarney (PMDB) a fim de mudar a condução das investigações da Operação Lava-Jato. Sarney negou

27/11/2017 - No lugar de Leandro Daiello, Segovia é empossado na PF. Ele foi superintendente regional da PF no Maranhão e exerceu funções de inteligência nas fronteiras

09/02/2018 - Segovia diz à agência de notícias Reuters que não há provas de crime contra Michel Temer no inquérito que trata de um decreto para a área portuária em Santos (SP)

26/02/2018 - A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, censura as declarações de Segovia sobre o inquérito envolvendo Temer

Colaborou Carolina Curvello

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.