CEARÁ ENFRENTA O ATLÉTICO-PR, FORA DE CASA, PELA COPA DO BRASIL

Não é exagero dizer que o encontro entre Ceará e Atlético/PR, pela 3ª Fase da Copa do Brasil trata-se de um confronto de elite. Afinal, ambos estão na Série A do Campeonato Brasileiro e o duelo entre cearenses e paranaenses é o único da atual fase do torneio e o primeiro da edição de 2018 entre dois clubes da elite nacional.


Por isso, para o Ceará, torna-se o maior desafio no ano até agora, embate que acontecerá em duas partidas, a começar hoje às 21h30 em Curitiba, na Arena da Baixada, e no dia 15, no Castelão, também às 21h30. E como novidade para 2018, o gol marcado fora de casa não é critério de desempate, como era adotado desde a 1ª edição em 1989.

Para chegar ao seu maior desafio até então no torneio e na temporada, o Alvinegro precisou passar por duas duras fases, sempre em jogo único e atuando fora de casa: o Vovô bateu o Brusque/SC por 1 a 0 e o Londrina por 2 a 1, evidenciando a postura ofensiva da equipe de Marcelo Chamusca, seja dentro ou fora de casa.

E os dois duelos das fases anteriores são um parâmetro importante para o confronto de hoje com o Furacão, principalmente o jogo da 2ª Fase quando venceu o Londrina no Estádio do Café.

"Será o confronto mais difícil para nós até então na temporada, por se tratar de um time de Série A, como o Ceará. Mas vamos manter nossa proposta. Jogamos muito organizados. Independente do posicionamento do adversário, sempre mantemos um conceito defensivo e ofensivo bem montado. A base da equipe vai ser a mesma, as ações já estão bem encaixadas", declarou o técnico do Ceará, Marcelo Chamusca.

Naquela partida, o Alvinegro fez uma melhor exibição na temporada, mesmo com os desfalques de Pedro Ken e Ricardinho, com Juninho e Wescley de titulares. E como Pedro Ken é o desfalque por dores no quadril e Ricardinho - que era dúvida mas viajou - deve começar no banco por ainda estar voltando de lesão no tornozelo, Chamusca deve repetir a equipe que iniciou o jogo com o Londrina.

O treinador do Vovô acredita em um jogo complicado na Arena da Baixada. "O jogo na Arena da Baixada é uma atmosfera muito difícil, já que o Atlético joga sempre muito ofensivo, com muitos jogadores no último terço do campo. Mas temos que sobrepor todas as dificuldades e trazer um bom resultado, pois se trata de um confronto em dois jogos, em 180 minutos".

Velocidade

Com um campo de grama sintética na Arena da Baixada, os jogadores do Ceará terão que buscar um adaptação rápida ao diferente tipo de gramado.

Para Élton, o jogo se torna mais rápido, mas acredita que não será problema para a equipe. "Ouvi falar que é um gramado que deixa o jogo muito rápido. Mas acredito que nossa equipe vai se adaptar logo e fazermos o nosso jogo. Eles estão em casa, farão pressão, mas nós também vamos fazer nosso jogo e procurar vencer", disse o atacante.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.