BUSCANDO VOTOS RODRIGO MAIA REAFIRMA QUE VOTAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA OCORRERÁ NO DIA 19 DE FEVEREIRO

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse, nesta terça-feira (6), que trabalha para conseguir os votos para aprovação da reforma da Previdência no dia 19 de fevereiro. “Não vou mentir para a sociedade: hoje não tem 308 votos. Agora, o Brasil é um país em que as coisas mudam com tanta rapidez. Quem sabe a gente consegue, depois do carnaval, todo mundo descansando um pouquinho, construir uma maioria para aprovar aquilo que for possível”, disse o deputado, após participar de reunião com o prefeito João Dória, na sede da prefeitura, no centro da capital paulista.


Maia negou que esteja contra a aprovação da reforma e pediu paciência. “Tenho clareza da minha posição. Não escondo de ninguém que sou a favor e acho que é único caminho que o Brasil tem para voltar a gerar empregos nesse país. Se a gente quer fazer a coisa séria, vou continuar defendendo. Agora a construção da maioria é lenta, porque nós temos hoje uma sociedade que ainda não compreendeu que a reforma do regime geral do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social] é positiva. Ela compreendeu a do serviço público”, apontou.

João Dória destacou que a proposta de reforma da Previdência do município, que está na Câmara de Vereadores, foi tema da reunião. “Espero que possam obter resultados positivos para que a Previdência do município seja bem implantada e garanta recursos para que a cidade de São Paulo tenha possibilidade de investir e priorizar a área social”, defendeu. Maia avaliou que o modelo de fundo próprio é o caminho mais adequado. “Que a Previdência seja um fundo que gere as condições de ter a sua estabilidade e o Tesouro não fique a transferir recursos para esse fundo”, declarou.

Eleições

Maia confirmou que o debate eleitoral também foi pauta do encontro. “O que tenho dito a todos é que o nosso partido Democratas não vai fazer nenhum tipo de ligação da eleição regional, da nacional. Nós entendemos que o projeto político regional é separado”, declarou. Ele destacou que a relação entre o Democratas e o PSDB em São Paulo é uma relação natural. “Essa separação dos dois processos é para que nenhum precise contaminar o outro”, destacou.

O deputado avaliou que o cenário político está aberto para que os partidos decidam sobre projetos e candidatos majoritários. “Tirando o presidente Lula, não há nenhuma candidatura hoje consolidada, então, se nós deixarmos que os diretórios regionais decidam os seus projetos, acho que o DEM tem condição de tentar viabilizar o seu projeto nacional também”, disse Maia, sem confirmar que poderá sair candidato à Presidência da República. “O partido vai decidir a partir de março. Agora, estou focado na pauta da Previdência”, apontou.


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.