REDE MUNICIPAL ADOTA MUTIRÃO NOTURNO PARA REDUZIR FILA POR CIRURGIA TRAUMATOLÓGICA EM FORTALEZA

Superlotação e falta de leitos, pacientes amontoados nos corredores, em macas colocadas no chão, inexistência de material básico – como medicamentos e equipamentos para exames - , cirurgias que não têm data para ocorrer. Essa é a realidade dos principais hospitais da rede pública municipal de saúde de Fortaleza, como Instituto Dr. José Frota, Hospital Nossa Senhora da Conceição e Frotinhas – de Messejana, Antônio Bezerra e Parangaba. (veja no vídeo acima)

Foto: (TV Verdes Mares/Reprodução)

A situação se deve, principalmente, segundo a Prefeitura, ao grande número de pacientes do interior do estado que, por falta de condições de atendimento em seus municípios, acabam sendo encaminhados para a capital cearense. “A gente não pode concentrar , em um único município, essa quantidade de pacientes que cresce a cada dia. É preciso que aos municípios – principalmente os maiores – criem condições mínimas necessárias para atender a sua população em relação à traumatologia”, diz o médico Rommel Araújo, coordenador de Gestão Hospitalar e Unidades Especializadas da Prefeitura de Fortaleza.

Mutirões

Entre as medidas para diminuir o número de pessoas que estão ocupando leitos nos hospitais à espera por cirurgias – especialmente traumatológicas – o município decidiu implantar mutirões noturnos para a realização de cirurgias no IJF. “A prioridade é atender idosos e crianças. Com os mutirões, conseguimos realizar até oito cirurgias a cada dia”, relata o médico.

Além do IJF, mutirões de cirurgias estão sendo realizados aos sábados no Frotinha de Antônio Bezerra. “Com isso a gente reduz a demanda de pacientes nos corredores, não só dos três frotinhas, nas também do IJF”, acredita Rommel Araújo.

Quando questionado sobre a necessidade de ampliação na quantidade de leitos, o médico aponta outra alternativa. “A partir do próximo mês, com a renovação dos contratos com as associações de traumatologistas e anestesistas, a gente está querendo ampliar esses mutirões para segunda a sábado, todas as noites. Com isso, a gente passa a operar esses pacientes de maneira precoce, que também recebem alta mais rápido, liberando os leitos mais rapidamente.

Reforma

A 'idade” das unidades hospitalares do município de Fortaleza é outro agravante para o atendimento dos pacientes, que não dispõem de condições mínimas de permanência. “A média das “A média das construções é de 30 anos. Já conseguimos aprovar – junto à Secretaria de Infraestrutura – a reforma e modificação das unidades. As obras dos três frotinhas estão sendo orçadas para que a gente mexa nos blocos cirúrgicos. A intenção é colocar três salas cirúrgicas para cada frotinha, a fim de aumentar a capacidade. O que 'roda' leito? É você ter um centro cirúrgico funcionando 24 horas”.

Três hospitais já estão passando por reformas: Hospital Nossa Senhora da Conceição e Frotinhas de Messejana e Antônio Bezerra. A expectativa é de que as obras estejam concluídas até o dia 20 de dezembro”, afirma o médico Rommel Araújo.


G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.