PARTIDO PRESSIONA QUE BONIFÁCIO DE ANDRADA DEIXE RELATORIA DE DENÚNCIA CONTRA TEMER

Sob pressão do próprio partido para que deixe a relatoria da denúncia contra o presidente Michel Temer, o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) disse que não deve se afastar da função.


"Se alguém estiver em desacordo com a minha presença como relator, tem que falar com presidente da comissão. Ele que me designou, ele que pode me destituir. Eu, por mim próprio, não devo me afastar. Seria uma demonstração minha pública de falta de compromisso com a própria Câmara dos Deputados", disse Andrada, logo depois de concluir uma rápida reunião com o presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), Rodrigo Pacheco (PMDB-MG).

Mais cedo, o líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli (SP), disse que esperaria até a manhã de hoje (4) que Bonifácio de Andrada deixe a relatoria para evitar "constrangimento" aos correligionários.

"Vou deixar (a função) se o presidente da Comissão de Constituição e Justiça me fizer um apelo para eu me afastar. Se ele me fizer um apelo, imediatamente eu saio. Estive com ele agora e ele não fez este apelo", afirmou.

Andrada minimizou a pressão dos tucanos.

"Faz parte do processo político. Tem grupos que são numa direção, tem grupos que são em outra. Isso não me assusta. Com 50 anos de vida pública, isso é mais um fato".

O relator disse que começou a levantar os dados da denúncia e que usará até o último dia do prazo para concluir o parecer.

Já o presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), disse que não tem plano B sobre a relatoria da denúncia contra Temer e dois ministros.

Pacheco reafirmou que não pretende trocar o relator. O deputado considerou lamentável o movimento de parte da base governista de trocar membros da comissão a fim de aumentar o número de votos favoráveis.

Troca

O Palácio do Planalto promoveu, ontem, mais uma troca na CCJ para salvar Temer e seus ministros da denúncia.

O Partido da República (PR) tirou da vaga de titular o deputado Jorginho Mello (SC), que havia votado contra Temer, e colocou em seu lugar o suplente Delegado Edson Moreira (MG), que, em plenário, votou a favor do presidente da República.

O líder do PR, José Rocha (BA), negou que a troca tenha sido um pedido do governo.


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.