EM VISITA A SÃO PAULO, TEMER ENFRENTA PROTESTO DE SEM-TETO

Cerca de 300 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) protestam pela liberação de moradias populares em frente a uma concessionária da Mercedes-Benz na zona norte de São Paulo, onde o presidente Michel Temer (PMDB) participa de cerimônia de entrega de ambulâncias, nesta quarta-feira (4).

Resultado de imagem para TEMER

Os manifestantes vieram de uma ocupação em São Bernardo, no ABC paulista. Lá, cerca de 7.000 pessoas ocupam um terreno que pertence a uma construtora. O empreendimento é ladeado por um condomínio habitacional de classe média e uma vila.

Com faixas e cartazes em mãos, eles exigem também a resolução do impasse no ABC.

"A intenção é pedir a desapropriação do terreno em São Bernardo e também que ele retome imediatamente a construção de 35 mil unidades do Minha Casa, Minha Vida que está parada", disse Josué Rocha, coordenador do movimento.

Além disso, eles dizem que não há previsão orçamentária para moradias populares para o ano que vem.

A ocupação já dura um mês e não há nenhuma solução aparente para o impasse. A reintegração de posse que havia sido concedida pela Justiça foi suspensa em seguida até que ocorram audiências de conciliação.

O presidente Temer chegou às 17h17. O prefeito João Doria e o governador Geraldo Alckmin, ambos do PSDB, não compareceram ao evento. Temer entregará 225 ambulâncias do Samu, que serão destinadas ao país, segundo a assessoria da Presidência.

Acompanham Temer o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), a senadora Marta Suplicy (PMDB) e deputados estaduais e federais.

Na cerimônia, o presidente e o ministro entregaram as chaves das ambulâncias para prefeitos de três cidades do interior de São Paulo.

Em meio ao silêncio sucedido pelos aplausos aos discursos era possível ouvir os gritos dos manifestantes do lado de fora. "Ou entregam nossa casa ou paramos o Brasil", diziam os sem-teto.

Do lado de fora, policiais militares e seguranças da Presidência isolaram o acesso à concessionária.

Discurso

Num discurso de sete minutos, o presidente voltou a citar reformas, como a trabalhista, para "colocar o Brasil no século 21, nos trilhos".

Também propagandeou a liberação de verbas do FGTS e do PIS.

"São exemplos tão triviais e singelos. São medidas que dão resultado", disse.

Temer ficará em São Paulo nesta noite. Na quinta (5), deixará a capital paulista em direção ao Estado do Pará, de onde parte em seguida para o Maranhão.

O ministro da Saúde disse que nem ele nem Temer ouviram os protestos que ocorriam do lado de fora.


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.