SECRETARIA DE SAÚDE DO CEARÁ ABRIU UMA SINDICÂNCIA PARA APURAR ATENDIMENTO DE BEBÊ KALEB LEVY DEVE SAIR EM 19 DIAS

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) abriu uma sindicância para apurar o que houve no atendimento do bebê Kaleb Levy Rodrigues Martins, que passou mal após ser medicado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro José Walter, em Fortaleza. O resultado deve sair em 19 dias. A criança segue internada em estado grave no Hospital Infantil Albert Sabin (Hias).

Criança passou mal após atendimento na UPA do José Walter. Sindicância irá apurar procedimentos.  (Foto: Reprodução/TVM)

Conforme a Sesa, o tempo da sindicância é necessária para ouvir todas os profissionais que participaram do atendimento do bebê de um mês. A Diretoria de Processos Assistenciais das UPAs de Fortaleza informou que todo o procedimento utilizado pelos médicos e enfermeiros da unidade de saúde será apurado.

"A gente abriu a sindicância para esclarecer o que realmente aconteceu. Qual foi a medicação aplicada, a dosagem e por quem foi aplicada. A gente está avaliando todo o caso", comentou Tarcílio Esdras, diretor em exercídio do órgão.

Bebê internado

Kaleb Levy passou mal no sábado (2), após ter recebido uma dosagem errada de medicação durante atendimento na UPA. Após o ocorrido, o bebê foi internado em estado grave no Hospital Infantil Albert Sabin.

No domingo (3), ele foi levado para a unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias). A criança teve uma leve melhora em seu quadro clínico nesta terça-feira e foi transferida para o Centro de Terapia Integrada (CTI).

A mãe da criança, Evilene Rodrigues, 19, conta que o filho passou mal após uma enfermeira da UPA ter aplicado um remédio na veia do bebê. “Ele começou a endurecer e mudar de cor, eu gritei que o meu filho tava morrendo e a enfermeira pegou ele e saiu gritando pedindo ajuda”, relatou a mãe.

Em nota, no dia do ocorrido, a Sesa comunicou que Kaleb foi atendido com quadro de broncoespasmo e recebeu a medicação “epinefrina”, indicada para crise asmática, em dosagem maior do que a indicada.

Evilene Rodrigues lamentou o erro cometido pela profissional de saúde. "É muita negligência de uma enfermeira dessa. Muita desatenção", afirmou a mãe.


G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.