HOMEM DECAPITOU CRIANÇA DE UM ANO DE IDADE E PASSEIA COM CABEÇA DA VÍTIMA NAS RUAS

Um assassino que foi libertado de um hospital psiquiátrico há poucos dias, decapitou uma criança de apenas 1 ano e 6 meses com uma faca, e passeava com a cabeça cortada nas ruas de uma cidade russa, disseram as testemunhas oculares. A criança era filha de sua sobrinha.


Mikhail Elinsky, de 42 anos, também esfaqueou sua sobrinha, a mãe da bebê que foi assassinada, resultando em sérios ferimentos abdominais, durante o ataque na cidade de Astrakhan, cidade no sudeste de Moscou. Um vídeo mostra-o repetidamente provocando oficiais com uma faca e se recusando a desistir. Mas ele finalmente foi contido depois de levar um tiro dos policiais e mais tarde morreu no hospital.

A sobrinha do homem, Tatiana, havia pedido e implorado às autoridades para não liberá-lo do hospital psiquiátrico, temendo que ele continuasse um perigo depois de ter matado uma mulher a seis anos atrás. Ela tentou desesperadamente salvar sua filha Natalia, mas foi esfaqueada quando ela tentava se aproximar da cozinha onde Elinsky estava matando a criança.

A testemunha ocular, Anastasiya Miloserdova disse: "A menina era sua sobrinha, e sua mãe implorou para não deixá-lo sair da clínica mental. E olhe como ele terminou - ele correu pela área com a cabeça cortada da pequena".

A mãe da menina contou como tudo aconteceu. "Estávamos prestes a sair, e minha filha estava sentada em seu triciclo. Ele a puxou, agarrou-a e levou-a para a cozinha. Ele fechou a porta e começou a cortá-la. Tentei detê-lo e corri para a cozinha, mas ele me esfaqueou no estômago com a faca", disse Tatiana.

O pai, que se chama Igor, ficou abatido demais e não conseguiu falar.

Um relatório da polícia local disse que o homem correu pela rua segurando a cabeça. A polícia levou mais de meia hora para deter o homem. "Ele foi levado ao hospital com três feridas causadas por tiros", disse o relatório. A aplicação da lei confirmou que o homem matou a criança, feriu a mãe e que ele morreu no hospital.

Seis anos atrás, Mikhail Elinsky matou um assistente de uma loja de artigos femininos na mesma cidade. Ele foi diagnosticado com esquizofrenia paranoica e enviado por um juiz para um hospital de alta segurança para tratamento. Mas recentemente ele ganhou a liberdade por acharem que ele estava curado.

A colega de trabalho de Tatiana, Viktoria Mikhaylova, disse: "É um horror tão grande. Eu trabalhei com essa mulher. Sua filha era um pouco mais nova do que meu filho. Ela estava tão feliz quando a filha nasceu. Ela também tem um filho. Descanse em paz, pequena menina."


BLASTINGNEWS 

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.