EM NOTA, DELATORES DA JBS PEDEM DESCULPAS POR CONTEÚDO DE GRAVAÇÃO

Em nota, Joesley Batista e Ricardo Saud, executivos e delatores da JBS, pediram desculpas pelo conteúdo dos áudios gravados e entregues à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Resultado de imagem para DELATORES DA JBS

"O que nós falamos não é verdade, pedimos as mais sinceras desculpas por este ato desrespeitoso e vergonhoso e reiteramos o nosso mais profundo respeito aos Ministros e Ministras do Supremo Tribunal Federal, ao Procurador-Geral da República e a todos os membros do Ministério Público", diz o texto.

O site da revista "Veja" divulgou nesta terça (5) três áudios com conversas entre Saud e Joesley Batista.

Nesses arquivos, ouvidos pela reportagem, ambos discutem uma estratégia: "moer o Judiciário", diz Batista, já que a "Odebrecht moeu o Legislativo".

"Ricardinho, eles vão dissolver o Supremo. É o seguinte: eu vou entregar o Executivo e você entrega o Zé [Eduardo Cardozo]", planeja o empresário. "Vou ligar pra ele: 'Zé, você precisa trabalhar conosco, precisa organizar o Supremo, véi. Quem nós temos no Supremo?"

Em outro trecho da gravação, Joesley fala sobre a importância de Marcelo Miller, ex-procurador da República, nos planos da JBS de fechar o acordo de delação premiada com a PGR. O empresário via Miller como uma forma de acesso a Rodrigo Janot.

"Esclarecemos que as referências feitas por nós ao Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral da República e aos Excelentíssimos Senhores e Senhoras Ministros do Supremo Tribunal Federal não guardam nenhuma conexão com a verdade. Não temos conhecimento de nenhum ato ilícito cometido por nenhuma dessas autoridades", afirma a nota.


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.