LULA CRITICA TEMER E PEDE 'ESPERANÇA' NO CEARÁ NO SEU ÚLTIMO DIA NO CRATO

No segundo e último dia em solo cearense, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) visitou, ontem, seis cidades das regiões Centro-Sul e Sul do Ceará. As visitas integram a caravana que o petista realiza pelo Nordeste brasileiro. Até agora, já foram sete estados visitados. Na terça-feira, Lula esteve nos municípios de Quixeré, Limoeiro do Norte, Morada Nova e Quixadá. Já na noite de ontem, após atraso de quase quatro horas do horário inicialmente previsto, ele chegou ao Crato, no Cariri, onde foi recepcionado por uma multidão estimada em 15 mil pessoas, no estacionamento do Centro de Convenções do Cariri.


No ato político, o petista esteve acompanhado do governador Camilo Santana (PT), além de outras lideranças políticas. Recuperando-se de um problema na garganta, Lula foi breve em seu discurso, com duração de pouco mais de 15 minutos. Apesar do diminuto tempo, o ex-presidente fez questão de elencar as políticas implementadas ao longo de seus dois governos (2003 a 2010), responsáveis, segundo ele, "por tirar 36 milhões de brasileiros da miséria".

Em Quixadá, na terça, Lula disse que poderia se candidatar à Presidência em 2018 e, ontem, reforçou a promessa, embora tenha ressaltado que o ato não se tratava de campanha política. Antes e após o discurso, o público entoou o grito de "Lula, guerreiro, do povo brasileiro!".

O petista criticou o atual governo do presidente Michel Temer (PMDB), o qual ele avalia ser o responsável por "retirar os direitos que o povo conquistou durante o governo do PT". Lula fez duras críticas à redução da projeção do salário mínimo que entrará em vigor a partir de 1º de janeiro do próximo ano e lamentou as privatizações, ao citar a Casa da Moeda. "É um absurdo", pontuou. Ao destacar avanços sociais em seus governos, o ex-presidente lembrou que o Nordeste passou a crescer mais rápido que o resto do País, "justamente porque o pobre passou a poder consumir mais".

No encerramento, Lula se desculpou pelo atraso e pediu aos presentes para não "perderem as esperanças". "Minha vida toda eu sonhei em ver o Nordeste fora das páginas de desgraças dos jornais. E conseguimos. Temos que sonhar com o 'quase impossível' para conquistar o possível", finalizou o petista, ao citar exemplos de obras importantes, como a Transposição das Águas do Rio São Francisco e a construção de 1,4 milhão de cisternas nos governos petistas.

O governador Camilo Santana discursou antes do ex-presidente. O chefe do Executivo Estadual destacou que "Lula foi o político que mais olhou com atenção e carinho para o menos favorecidos" e ressaltou os avanços conquistados no Brasil ao longo dos governos petistas.

O ato contou com a presença de 13 prefeitos da região do Cariri, além dos deputados Dr. Santana, José Guimarães, Luizianne Lins, Elmano de Freitas, Moisés Brás, o senador José Pimentel e outros correligionários. O secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Inácio Arruda, também esteve presente, ao lado de outros secretários.

Antes do discurso político, Lula foi agraciado com três títulos: a Comenda Bárbara de Alencar, título de cidadão Cratense e o título de Doutor Honoris Causa, concedido pela Universidade Regional do Cariri (URCA).


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.