HOMEM TORTURA E ABUSA DA NAMORADA E DA AMIGA SURDA

Preso em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos nesta terça-feira (1), Lucian Ferreira admitiu na 2ª Delegacia Especial de Defesa dos Direitos da Mulher que agrediu as jovens surdas com quem morava e relatou os abusos sexuais. Entretanto, para ele, o que aconteceu não foi estupro.


De acordo com a polícia, no dia 21 de julho, Ferreira agrediu a namorada e a amiga dela porque queria que elas admitissem que tinham mantido relação sexual com um amigo deles. As agressões foram filmadas.

Após ser ouvido pela chefe de serviço da delegacia, Ferreira falou à imprensa sobre as agressões às mulheres. "Eu só queria que elas falassem a verdade na minha frente, que o Wellington pegou a minha esposa", disse o suspeito à imprensa .

Ferreira também admitiu que, após a sessão de tortura, obrigou a amiga da namorada a fazer sexo oral nele e também exigiu que ela fizesse sexo com um outro amigo deles, uma quarta pessoa que estava no local e confirmou isso em depoimento. Mesmo assim, ele nega que houve estupro.

"Por isso que eu estava cortando o cabelo, de pouquinho em pouquinho, para ela dizer a verdade. Todas as duas falaram a verdade. Me arrependo, sim, porque to aqui passando essa vergonha", justifica Ferreira.

Para a polícia, ele contou que a relação sexual que exigia saber se houve aconteceu com o homem identificado como Wellington, mas sem o consentimento delas. Contudo, a chefe de serviço Zeina Oliveira disse que uma das vítimas esclareceu o fato em depoimento.

"Ela foi clara em falar que confirmou só para o Lucian parar de agredir. E disseram que esse Welington era responsável pela droga que estava na casa [deles]", esclarece Zeina.

Em entrevista ao G1, a delegada Cássia Mabel disse que para a lei, o relato dos abusos sexuais já é uma confissão de estupro, mesmo que ele entenda que não. Ele será indiciado por tortura, estupro e por obrigar o amigo a manter relação com uma das vítimas.

"Para ele, era normal abusar da companheira. Para ele foi normal, mas para a Lei, como ele a espancou e manteve relação sexual, é estupro", explica a delegada.

Ferreira foi preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. Ele deve ficar preso na Casa de Custódia, no Complexo Penitenciário em Maceió.




G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.