EX-PRESIDENTE LULA VIRA RÉU PELA SEXTA VEZ

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está mais uma vez no banco dos réus. O juiz federal Sérgio Moro aceitou, ontem, a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o petista por corrupção e lavagem de dinheiro nas obras do sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP).


Esta é a terceira denúncia contra Lula que Moro recebe. Ao todo, na Lava-Jato e também nas Operações Zelotes e Janus, o Lula é réu em seis ações penais. Na ação do caso tríplex, o petista foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 9 anos e 6 meses de prisão.

Também se tonaram réus outros 12 investigados, entre eles o empresário Emilio Odebrecht, patriarca da empreiteira, e o advogado e compadre de Lula, Roberto Teixeira.

A Procuradoria da República, no Paraná, anexou 415 documentos à nova denúncia. Segundo a Procuradoria, a denúncia foi elaborada com base em depoimentos, documentos apreendidos, dados bancários e fiscais bem como outras informações colhidas ao longo da investigação. No material anexado pelo Ministério Público Federal estão fotos de objetos e fotografias da família no sítio escritura e registro do imóvel, notas fiscais e relatórios da Polícia Federal.

'Emenda Lula'

O relator da reforma política na Câmara, deputado Vicente Cândido (PT-SP), afirmou, ontem, que vai retirar da proposta a chamada "emenda Lula". O texto, que havia sido inserido no relatório do parlamentar, propõe ampliação para até oito meses da proibição para que candidatos sejam presos antes das eleições porque o momento político exige uma reação do Congresso.

"Decidi retirar. Sai com Lula (ex-presidente) e ele disse: 'Já que a emenda é minha, faço com ela o que quiser. Retire-a'".

Cândido admitira que a nova regra beneficiaria Lula e que fora pensada para "blindar" não só ele, mas políticos investigados.

"Lula também, como qualquer outro. É nossa arma contra esse período de judicialização da política", disse o relator.

Ontem, Lula afirmou que pode ser um "grande cabo eleitoral"se for impedido de disputar a eleição em 2018. Ele repetiu que as investigações contra ele na Lava-Jato são um artifício para impedi-lo de concorrer.

Segundo Lula, por causa das investigações o povo está sendo prejudicado com aumento do desemprego e queda da renda.


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.