ATENTADO COM UMA VAN EM BARCELONA ATROPELOU UMA MULTIDÃO DE PESSOAS

Uma van atropelou dezenas de pessoas no centro de Barcelona por volta das 17h de ontem (12h em Brasília). Pelo menos 13 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas. Em outra região da Espanha, houve outro atropelamento de pedestres na madrugada


A facção terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria do primeiro ataque. "Os responsáveis pelo ataque em Barcelona são soldados do Estado Islâmico e conduziram a operação em resposta a chamados para atacar países da coalizão (que luta contra a milícia na Síria e no Iraque)", citou a agência da milícia.

O ataque ocorreu nas Ramblas, uma via de grande circulação de pedestres que liga uma praça central à orla da cidade.

A polícia informou que o motorista fugiu a pé após deixar a van em frente ao Teatro del Liceu. Foi confirmada a prisão de dois suspeitos de ligação com o atentado. O primeiro foi o marroquino Driss Oubakir, 28, que morava legalmente em Ripoll (a 105 km de Barcelona) e teria alugado a van usada.

O outro preso é um espanhol do enclave de Melilla, no norte da África, cujo nome não foi divulgado. O homem seria o responsável por uma explosão vinculada ao ataque em um prédio de Alcalar, a 202 km de Barcelona -na ação, ocorrida de madrugada, uma pessoa morreu e sete ficaram feridas.

A polícia, porém, descarta relação do atentado com outro atropelamento ocorrido horas antes nas Ramblas, em que o motorista foi morto pela polícia após atropelar dois agentes.

As estações de metrô e trem foram fechadas. As ruas ficaram fechadas para carro e vazias, exceto por pequenas aglomerações em varandas e lojas.

A Câmara Municipal suspendeu todas as atividades da cidade, inclusive as festas de Gràcia, tradicional celebração do bairro catalão que completa seu bicentenário nesta edição.

Vídeos em redes sociais mostraram feridos recebendo atendimento nas ruas. Testemunhas afirmaram que pessoas pediram abrigo em estabelecimentos próximos ao local do atentado.

Poucas horas após o ataque, muitas pessoas já doavam sangue em hospitais da cidade.

"Catalunha tem sido e será uma terra de paz e acolhimento. Não deixaremos que uma minoria acabe com um modo de vida que se forjou ao longo dos séculos", disse o governador da Catalunha, Carles Puigdemont.

A prefeita de Barcelona, Ada Colau, que está fora da cidade, mas se manifestou pelas redes sociais. "Barcelona é uma cidade de paz. O terror não conseguirá que deixemos de ser quem somos: cidade aberta ao mundo, valente e solidária", disse Colau, que agradeceu à solidariedade.

Novo ataque

A polícia da Catalunha abortou na madrugada de sexta-feira (noite de ontem no Brasil) um ataque na orla de Cambrils, a 117 km de Barcelona, que deixou sete feridos. Os cinco autores foram mortos pelos agentes.

Os homens estavam em uma van que subiu a calçada e tentaram entrar em alta velocidade em uma rua de pedestres. Seis pessoas que passavam pelo local ficaram feridas ao serem atropeladas, duas gravemente.

Na sequência, os agentes atiraram oito vezes contra os suspeitos, baleando e matando quatro deles na hora.

Reações

Frases

"Expresso a solidariedade da França às vítimas do trágico ataque. Permanecemos unidos e determinados"

Emmanuel Macron
Presidente da França

"Meus pensamentos estão com as vítimas e com os serviços de emergência. O Reino Unido apoia a Espanha contra o terrorismo"

Theresa May
Primeira-ministra do Reino Unido

"Pensamos com profunda tristeza nas vítimas do ataque revoltante com solidariedade e amizade aos espanhóis"

Angela Merkel
Primeira-ministra da Alemanha

"Estamos consternados com esse ataque. O Brasil se solidariza com o povo espanhol. Nossos sentimentos às famílias das vítimas"




DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.