ALEMÃO MENTOR DO FURTO AO BANCO CENTRAL, É BALEADO DURANTE TENTATIVA DE FUGA DE PRESÍDIO NO CEARÁ

O preso Antônio Jussivan Alves, o "Alemão", mentor do furto ao Banco Central em Fortaleza em 2005, foi baleado durante uma tentativa de fuga na madrugada desta terça-feira (8) da Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, no município de Pacatuba. Segundo a polícia, ele foi ferido ao tentar escapar pelo muro do presídio.


Alemão

Alemão foi atingido na região da barriga, segundo a polícia. Por volta das 6h, ele foi levado sob escolta policial para o Instituto Dr. José Frota (IJF) para receber atendimento médico. O hospital não informou o estado de saúde do preso.

A segurança no hospital foi reforçada com policiais do Comando Tático Motorizado (Cotam), Batalhão de Choque da Polícia Militar (BPChoque) e Guarda Municipal.
Alemão foi levado para o IJF após ser atingido durante tentativa de fuga no Ceará.

Ação de 'resgate'

A Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) confirmou que criminosos tentaram "resgatar" internos do presídio. Agentes penitenciários e a polícia intervieram e conseguiram impedir a fuga.

A Sejus acrescentou que presos ficaram feridos durante a tentativa de fuga, mas, até o momento, não informou quantos são nem os nomes deles.

Ninguém conseguiu fugir. A segurança no entorno da penitenciária foi reforçada após o caso.

Mentor do furto ao Banco Central

Alemão é apontado como um dos mentores do furto ao Banco Central, ocorrido na madrugada de 5 para 6 de agosto de 2005 em Fortaleza. Segundo a Polícia Federal, foram levados do cofre R$ 164,7 milhões (mais de três toneladas em notas de R$ 50).

Alemão foi condenado por ser um dos mentores do furto ao Banco Central.

Ele voltou a cumprir pena no sistema prisional do Ceará em março do ano passado. O preso estava em São Paulo desde julho de 2014 atendendo à determinação da Justiça paulista, que precisou ouvir Alemão para o andamento de um processo.

Alemão foi sentenciado a mais de 100 anos de prisão por diversos crimes, entre eles lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Em 2008, ele foi sentenciado a 49 anos e dois meses na primeira instância, e teve pena reformada pelo TRF-5 para 35 anos e 10 meses de prisão.



G1 E DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.