TERCEIRA CHACINA DO ANO DEIXA QUATRO MORTOS EM PARAIPABA

Quatro homens foram executados a tiros, na madrugada de ontem, na Rua Domingos Rodrigues Viana, no bairro Gurita, Município de Paraipaba (a cerca de 90Km de distância de Fortaleza). Essa foi a terceira chacina registrada no Ceará, neste ano.

Image-0-Artigo-2272154-1

De acordo com a Polícia Militar local, suspeitos chegaram em dois veículos, sendo um Chevrolet Monza, de cor verde, e outro não identificado, ordenaram que os homens deitassem no chão e efetuaram os disparos. Uma das vítimas chegou a ser socorrida com vida e levada ao Hospital Municipal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

Conforme a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ainda havia uma quinta pessoa com o grupo que sofreu o ataque criminoso, que também teria sido baleada, mas foi socorrida e sobreviveu.

Entre os mortos, está um adolescente, Clayver Braga de Almeida, de 16 anos. Os adultos foram identificados como Felipe Sousa de Oliveira, 20, Francisco Rangel Pereira Batista, 31, e Rodrigo Araújo dos Santos, 24.

Segundo informações da TV Diário, moradores do bairro Gurita não testemunharam a chacina porque já estavam no interior de suas residências, mas relataram ouvir muitos disparos de arma de fogo, em um curto intervalo de tempo.

Informações preliminares indicam que a chacina se deu por disputa de território para o tráfico de drogas. A SSPDS não comentou a motivação do crime e policiais da Delegacia Municipal de Paraipaba não quiseram conceder entrevista.

Ninguém foi preso por causa da chacina, até o fechamento desta matéria. "A Polícia Civil do Estado do Ceará, por meio da Delegacia Municipal de Paraipaba, informa que realiza diligências no sentido de elucidar a ocorrência", disse a SSPDS, em nota.

A Pasta pediu a colaboração da população do Município para denunciar os responsáveis pelo crime. "A população pode ajudar repassando informações que ajudem a desvendar o caso. Para fazer denúncias, basta ligar para o disque denúncia da SSPDS através do número 181, ou para o telefone (85) 3363.1110, da Delegacia Municipal de Paraipaba", finalizou.

Guerra entre facções

A disputa pelo tráfico de drogas, entre facções criminosas, deixou seis mortos em uma chacina que interrompeu uma festa que ocorria dentro de uma mansão, no Porto das Dunas, em Aquiraz, no último dia 3 de junho.

As vítimas celebravam a soltura de um dos mortos, Davi Saraiva Benigno, que havia sido preso em uma operação da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), em novembro de 2015. Davi liderava uma das maiores quadrilhas de drogas sintéticas do Estado e era membro da facção Guardiões do Estado (GDE).

Por volta de 22h daquele sábado, cerca de dez homens, encapuzados e a bordo de dois veículos, invadiram a mansão ao derrubar o portão de alumínio e começaram a disparar os tiros contra os convidados, que resultariam na chacina. Os assassinos seriam membros da facção Comando Vermelho (CV).

Nove dias após a primeira chacina do ano, a Polícia registrou outra ação criminosa com mais de três mortos, no dia 12 de junho. Um grupo invadiu um aniversário, no bairro Diadema I, em Horizonte, e disparou vários tiros. Cinco pessoas morreram, entre elas mãe e filho - uma criança de apenas três anos.

O alvo do ataque seria o marido e pai das duas vítimas, membro de uma facção criminosa, que foi atingido com um tiro no pé e sobreviveu. O assassinato dele teria sido encomendado por um detento pertencente a um grupo rival, que se encontra preso no Complexo Penitenciário de Itaitinga, de acordo com a investigação da Polícia.

Confrontos violentos

Além das chacinas, diversos confrontos entre dois grupos rivais ou envolvendo suspeitos e policiais causaram várias mortes, no ano corrente.

Na noite de 20 de fevereiro, um bando invadiu um apartamento em um conjunto habitacional, no bairro Granja Lisboa, e começou a atirar contra homens e mulheres que se reuniam no local e que revidaram à ação. Quatro pessoas morreram na residência, sendo três do grupo que foi atacado e uma dentre os seus rivais. Um homem que invadiu o apartamento foi baleado e socorrido, mas morreu no hospital. Três pessoas ainda ficaram feridas. Como morreram pessoas de grupos diferentes, o caso não foi considerado chacina.

Outra ocorrência que não foi considerada como chacina pela Polícia é a morte de quatro suspeitos, em um confronto com policiais civis, em Aquiraz, no dia 8 de junho último.

De acordo com uma fonte da SSPDS, o bando morto era membro da facção Comando Vermelho e se preparava para matar um inimigo, pertencente aos Guardiões do Estado. A Polícia Civil investigava o grupo e descobriu o plano, evitando a morte do traficante. Uma metralhadora, um fuzil e uma escopeta de cano duplo foram apreendidas na operação.


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.