FUNCIONÁRIO DOS CORREIOS É PRESO NO CEARÁ COM PORNOGRAFIA INFANTIL NO CELULAR

Um funcionário dos Correios foi preso em flagrante nesta terça-feira (25) pela Polícia Federal na segunda fase da Operação Glasnost, que combate crimes de pedofilia e exploração sexual de crianças. De acordo com a PF, o servidor mantinha arquivo com pornografia infantil no celular. Na residência do suspeito, foram encontrados também vários brinquedos infantis.

Servidor dos Correios mantinha arquivo com pornografia infantil no celular, diz PF (Foto: Polícia Federal/Divulgação)

A ação cumpre mandados em 51 cidades de 14 estados brasileiros. De acordo com a Polícia Federal, 30 pessoas foram presas, sendo 27 em flagrante. Foram expedidos três mandados de prisão preventiva, 71 de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento. Os presos permanecerão à disposição da Justiça nas respectivas unidades da PF que cumpriram os mandados.

Segundo a PF, a investigação teve como base o monitoramento de um site russo utilizado como uma espécie de “ponto de encontro” de pedófilos do mundo todo. Os investigados produziam e armazenavam fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até mesmo de bebês com poucos meses de vida, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos, e as enviavam para contatos no Brasil e no exterior.

As investigações da Polícia Federal resultaram na identificação de centenas de usuários, brasileiros e estrangeiros, que compartilhavam pornografia infantil na internet, bem como de diversos abusadores sexuais e produtores de pornografia infantil, tendo sido identificadas, ainda, diversas crianças vítimas de abuso.

Primeira fase

Mandados estão sendo cumpridos em mais de 50 cidades de 14 estados brasileiros.

A primeira fase da operação foi deflagrada em novembro de 2013. À época, foram cumpridos 80 mandados de busca e prisão e realizadas 30 prisões em flagrante por posse de pornografia infantil. Também foram identificados e presos diversos abusadores sexuais, bem como resgatadas vítimas, com idades entre 5 e 9 anos.

Glasnost

O nome da operação é uma referência ao termo russo que significa transparência. "A palavra foi escolhida porque a maior parte dos investigados utilizava servidores russos para a divulgação de imagens de menores na internet e para realizar contatos com outros pedófilos ao redor do mundo", explicou a PF. Ao todo, 350 policiais participam da ação.


G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.