EMPRESAS DO CEARÁ DEIXARAM DE INFORMAR R$1 BILHÃO EM VENDAS NO CARTÃO, DIZ SEFAZ

Empresas do Ceará deixaram de informar vendas no valor de R$ 1 bilhão à Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz). O anúncio foi feito nesta quarta-feira (12) pelo titular da Sefaz, secretário Mauro Filho.
Resultado de imagem para SEFAZ

"Com tamanha disparidade, o maior prejuízo recai sobre a população, pois há uma inevitável queda na capacidade de investimento do Estado. É preciso que esses empresários compreendam que imposto não pago significa menor investimento em educação, saúde, segurança pública e em todas as áreas prioritárias da gestão estadual", diz o secretário.

De acordo com o secretário, 1.011 empresas deixaram de repassar as informações ao fisco relativas a vendas de mercadorias e serviços no cartão entre janeiro de 2015 a dezembro de 2016.

O levantamento dos dados faz parte da terceira fase da operação Cartão de Crédito, que apura omissão de dados e evasão de divisas.

Mauro Filho esclarece que a falta de informação dos dados ainda não pode ser considerada sonegação, pois as empresas ainda podem regularizar a situação. De acordo com a Secretaria da Fazenda, elas têm até 31 de julho para, voluntariamente, prestar contas dos valores não declarados.

A falta de regularização pode acarretar em multas de até 30% sobre o valor não declarado.

Setores com maior diferença

O varejo foi o setor com maior valor não declarado: segundo a Sefaz, o valor das vendas em 2016 no cartão foi R$ 750 milhões a mais do que o declarado pelas empresas. Na indústria, a diferença é de R$ 83 mil. Ao todo mais de 30 segmentos foram identificados na operação, que envolveu 400 auditores da Sefaz.

A Sefaz afirma ainda que modernizou o sistema de checagem de venda nos cartões. Com a nova tecnologia utilizada pela pasta, o valor não declarado ao Fisco será levantado mensalmente, em vez de anualmente, como é feito até este ano.


G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.