CEARÁ REGISTRA MAIS DE 400 ASSASSINATOS NO MÊS DE MAIO

A onda de violência que tomou o Ceará em 2017, refletida no aumento de homicídios a cada mês (com exceção de fevereiro), continua a crescer em maio. Até o fim do último domingo (28), pelo menos 416 pessoas foram assassinadas no Estado, segundo dados preliminares da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).


O número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) - homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de mortes - registrados no Estado, em maio, já supera em 10% o mês de abril, que teve 377 mortes violentas e foi o segundo pior índice do Governo Camilo Santana. O mês atual se aproxima da pior taxa de homicídios (431), registrada no primeiro mês da gestão, janeiro de 2015. Em comparação a maio do ano passado, quando aconteceram 285 mortes violentas, as ocorrências em igual período desse ano cresceram 45%.

Fortaleza segue o ritmo do Estado e também já ultrapassou os registros de mortes violentas de abril. Já foram 160 ocorrências no mês atual, contra 140 em todo o mês anterior, o que representa um aumento de 14,28%. Em comparação com maio de 2016, que teve 75 mortes violentas, o crescimento é de 113,33%.

O índice de CVLIs, que já vinha alto, cresceu mais ainda com a violência do último fim de semana. Somente na Capital e na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), cinco pessoas foram executadas na noite de sexta-feira (26), 20 foram mortas no sábado (27) e 24 no domingo (28), somando 49 assassinatos, conforme apurou a reportagem junto à uma fonte da Polícia.

Entre os crimes ocorridos no fim de semana está um assalto a uma empresa de ônibus que terminou na morte do sargento Isidoro de Paiva Alves, da Reserva Remunerada da PM, que trocou tiros com cerca de seis bandidos, em Maracanaú.

Mortes múltiplas

A disparada no número de mortes também se deve aos homicídios múltiplos registrados neste mês. Do dia 1º até ontem, foram 15 duplos homicídios, e três triplos. O crime mais recente com mais de uma vítima aconteceu no início da tarde de ontem.

Por volta de 13h30, 10 homens desceram a antiga rampa do Jangurussu, invadiram uma residência e executaram Ailton da Silva Gomes, de 25 anos, e Fabiano de Sousa, 17. As vítimas da 'Comunidade do Gereba' foram atingidas com diversos disparos à queima-roupa. Conforme testemunhas, os criminosos ordenaram que as vítimas entregassem armas e quando disseram que não sabiam onde estavam, foram alvejadas.

Em um vídeo que a reportagem teve acesso, os suspeitos disparam contra Gomes e Sousa aos gritos de "PCC safado", dando a entender que as vítimas seriam integrantes de uma das maiores facções do Brasil.

De acordo com informações da 4ªCia do 5º BPM, ainda não se sabe se foram levadas armas da residência. Os militares ressaltaram a possibilidade das vítimas terem sido mortas por não se filiarem à facção rival.

Dentre as mortes que mais repercutiram nos últimos dias está a do casal vítima de traficantes de drogas, na Barra do Ceará. Francisca Jocélia Ferreira da Silva, 31, e José Edson Alves do Nascimento, 28, foram mortos por não concordarem com as ações do tráfico na região. Foram executados, na noite do dia 22, quando estavam na calçada de uma pizzaria que haviam inaugurado há poucas semanas na Travessa Omar Cardoso.

Conforme a Polícia, eles já vinham sendo ameaçados por discutirem com traficantes da Vila do Mar. Foram obrigados a mudar de endereço, e mesmo atendendo à ordem, não tiveram suas vidas poupadas.

Investigação

Na tarde de ontem, em coletiva de imprensa, o diretor da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Leonardo Barreto, ressaltou que cada crime é tratado de forma peculiar e que cada uma das mortes do fim de semana sangrento resultará em um inquérito policial.

Quando questionado sobre a relação das mortes com a disseminação das facções nas ruas da Capital, o delegado disse que há um perfil das vítimas, que geralmente se repete. A ligação com o tráfico é uma das características apontadas pelo diretor.

"No momento em que pudermos expor a motivação de cada crime iremos expor de forma individual. Quatro suspeitos de matar o PM, no fim de semana, já foram identificados pela 11ª Delegacia da nossa Divisão. Temos indicativos dos responsáveis por vários desses delitos do fim de semana", afirmou.

Sobre a reincidência de mortes múltiplas, o diretor da DHPP cita as prisões múltiplas como a principal estratégia de combate. Como exemplo, ele fala da capturas de quatro suspeitos de ter matado e decapitado Marcos Túlio de Oliveira,47, na madrugada de sábado, na Barra do Ceará.

A DHPP aponta como responsáveis pelo crime José Wilson da Silva Alves, 23; Francy Michael dos Santos Oliveira, 22; Francisco Vieira Teixeira, 22; e um adolescente de 17 anos. Todos foram encontrados em um táxi, interceptado pelo Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (PRE), em Taperoá, Distrito de Sobral. Durante a fiscalização o grupo tentou subornar os policiais com R$ 7 mil. Todos os adultos capturados tinham antecedentes criminais.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.