ASSEMBLÉIA NÃO TEM SESSÃO POR AUSÊNCIAS DE DEPUTADOS

Pela segunda sexta-feira consecutiva, neste mês, não houve trabalho na Assembleia Legislativa do Ceará. Na manhã de ontem, apenas 11 deputados estaduais registraram presença no painel eletrônico da Casa. O número mínimo deveria ser 16. Às 9h24, apenas os deputados Roberto Mesquita (PSD) e Rachel Marques (PT) estavam no Plenário 13 de Maio. Seguindo o Regimento Interno, alguém precisava anunciar que não haveria sessão. A função coube a Mesquita que, antes de encerrar, lamentou que os parlamentares não cumprissem com suas obrigações, como faz a grande maioria dos trabalhadores brasileiros.


Registraram presença os seguintes deputados: Audic Mota (PMDB), Ferreira Aragão (PDT), Agenor Neto (PMDB), David Durand (PRB), Dra. Silvana (PMDB), Ely Aguiar (PSDC), Fernanda Pessoa (PR), Lucílvio Girão (PP), Rachel Marques, Roberto Mesquita e Tomaz Holanda (PPS). Sineval Roque chegou a entrar no Plenário, mas não deu presença. Já Capitão Wagner (PR) e Bruno Pedrosa (PP) chegaram logo após o levantamento da sessão. Estavam inscritos para falar Lucílvio Girão, Tomaz Holanda, Ferreira Aragão, Dra. Silvana, Fernanda Pessoa e Agenor Neto.

Em entrevista ao Diário do Nordeste, Roberto Mesquita não poupou críticas aos faltosos. "Sem querer ser melhor do que ninguém e reconheço inúmeros pecados meus, mas os parlamentares precisam dar o devido valor a quanto o Estado gasta com cada deputado. Não quero generalizar. Sei que existem alguns que realmente cumprem a tarefa de acompanhar e fiscalizar o dia a dia, também aqueles que estão imbuídos de tarefas que não permitem a presença em determinados dias, mas a sexta-feira já está se tornando o dia da farra, dia de não ter sessão".

Os trabalhos no Parlamento devem ser realizados de terça a sexta-feira, a partir das 9 horas. "Se temos a obrigação de trabalhar na sexta, que venhamos trabalhar. Que sejamos iguais aos outros trabalhadores do Brasil que, muitas vezes, em condições bem diferenciadas, tendo que acordar de madrugada para pegar trens ou ônibus lotados, têm de chegar cedo para assinar o ponto às 7h da manhã", criticou.

Vigor

Única companhia de Roberto Mesquita durante o levantamento da sessão, a deputada Rachel Marques não considerou que as faltas sejam frequentes e que o Ceará tenha uma Assembleia Legislativa "sem debates". Para ela, inclusive, o Parlamento cearense é "bastante vigoroso".

"Acontece, algumas vezes, de não ter número regimental necessário para abrir a sessão, mas ontem (quinta-feira) estivemos aqui até o final da tarde votando matérias importantes para o Ceará e nos debates que cabem ao Parlamento", disse a petista. "Mesmo nos dias em que não temos sessões, não significa que não fazemos nada. Na próxima segunda-feira (29), por exemplo, não tem trabalho no Plenário, mas participo de audiência pública na Assembleia", citou.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.