PUBLICO ALVE DE SEIS TIPO DE VACINA FOI AMPLIADO PELO MINISTERIO DA SAUDE

O Ministério da Saúde anunciou na última sexta-feira (3), mudanças no Calendário Nacional de Vacinação de 2017, entre elas a ampliação do público-alvo de seis vacinas no País: tríplice viral, tetra viral, dTpa adulto, HPV, meningocócica C e hepatite A. A medida já é válida em todos os postos de saúde do Brasil desde o início de 2017. 


O objetivo é aumentar a proteção de crianças, ampliar a imunidade de adolescentes e diminuir casos de caxumba entre adultos. Segundo o ministro da Pasta, Ricardo Barros, a alteração foi possível devido à economia de R$ 66,5 milhões na negociação da compra das doses das vacinas contra hepatite A, dTpa gestantes e HPV, que tiveram redução nos custos de cerca de 10% cada.

Assim, o orçamento anual para vacinação, estimado em R$ 3,9 bilhões, não sofrerá alterações. “Estamos comprando vacinas mais baratas, apertando os fornecedores, e com isso estamos ampliando a vacinação para outras faixas etárias e permitindo que as pessoas possam se vacinar em uma faixa de tempo mais ampliada”, declarou o ministro Ricardo Barros. 

Com a economia, também foram compradas este ano 11,5 milhões de doses a mais da vacina contra a febre amarela. O novo calendário amplia a idade máxima para vacinação contra hepatite A e varicela, de até 2 anos para até 5 anos. A tetra viral passa a ser de 15 meses até 4 anos.

Outra alteração é o aumento na idade máxima para crianças e adolescentes receberem reforço de vacinas, como no caso da meningite C, de até 2 anos para até 4 anos. Barros também confirmou que a vacinação contra a gripe será disponibilizada para a população a partir do dia 17 de abril. Os profissionais da saúde receberão a dose antes, a partir do dia 10 do próximo mês. O ministro disse que alguns Estados poderão ter recebimento antecipado, principalmente “os mais frios”. Como mudanças no público-alvo, o ministério anunciou que os professores também poderão se vacinar este ano. 

Febre amarela

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) publicou na sexta mais um boletim epidemiológico com dados sobre a febre amarela no estado. São 99 mortes com confirmação para a doença, nas quais 87,8% envolvem vítimas do sexo masculino com média de idade de 45 anos. Outros 82 óbitos seguem em investigação. Ao todo, o estado contabiliza 1.063 notificações, das quais 57 foram descartadas e 260 casos confirmados.


DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.