PM FOI CONDENADO A 12 ANOS DE PRISÃO POR HOMICÍDIO NO CEARÁ

O Tribunal de Justiça do Ceará condenou nesta sexta-feira (17) o policial militar Francisco Renan Mesquita Matos a 12 anos de prisão pelo homicídio qualificado de Ideljones da Silva Magalhães. O homicídio ocorreu em abril de 2016 na cidade de Itapajé.

Policial militar foi condenado por matar homens a tiros na cidade de Itapajé (Foto: TJCE)

De acordo com os autos, o policial conduzia um carro, na companhia de outras quatro pessoas, no distrito de Santa Maria, quando parou o veículo para que Ideljones pudesse urinar próximo ao acostamento da estrada. Na ocasião, o réu teria sacado uma arma e desferido três tiros nele, que morreu no local. Em seguida, o agente fugiu abandonando o corpo da vítima.

Após o crime, o acusado lavou o carro e obrigou os outros passageiros, que testemunharam o homicídio, a tirarem a roupa e tomar banho, com o intuito de eliminar vestígios da ação criminosa. Posteriormente, Francisco Renan foi preso em casa, onde foram encontradas duas armas de fogo, sendo que uma delas o policial afirmou ser da vítima.

Durante o julgamento, o advogado alegou legítima defesa. Contudo, os jurados reconheceram, por maioria, que o acusado foi o responsável pelo crime. Ele foi condenado por homicídio qualificado (mediante recurso que dificultou a defesa da vítima).

A juíza Juliana Porto Sales destacou na sentença que, segundo os depoimentos das testemunhas, “a vítima não contribuiu com a conduta do apenado”. Também explicou que negou ao acusado o direito de apelar em liberdade com a finalidade de “evitar que o réu possa lesar outros bens jurídicos”.

A juíza determinou ainda a perda do cargo de policial militar, “em virtude da incompatibilidade da pena e da natureza da condenação com a função pública”.

G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.