CAUCAIA: DUPLA FOI PRESA APÓS TENTATIVA DE SEQUESTRO

Duas das quatro pessoas suspeitas de tentar praticar um assalto do tipo 'sapatinho' contra o gerente do Banco do Nordeste de Caucaia foram presas pelo Batalhão de Choque da PM (BPChoque), durante ação ocorrida na última quinta-feira (16). A prática criminosa consiste em sequestrar o gerente, levá-lo aos seus familiares mais próximos e depois separá-los em diferentes cativeiros, com o intuito do gerente ceder e abrir o cofre da agência para liberar o dinheiro.


O tenente-coronel Henrique Bezerra, comandante do BPChoque, disse que família percebeu o atraso do gerente e denunciou. A vítima tinha sido arrebatada junto com outro funcionário, quando saía da agência, e foi colocado em um táxi de Fortaleza. O BPChoque foi acionado, encontrou o carro do gerente abandonado e avistou o táxi nas proximidades. Houve perseguição e confronto dos criminosos contra patrulhas do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate).

Durante a investida, dois dos suspeitos fugiram, mas foram identificados como Raimundo Costa Silveira Neto, o 'Geladeira' e Bruno Giovani Stenghen Neves. Ambos são conhecidos por já terem envolvimento com outros assaltos a banco. 'Raimundo Geladeira', já havia sido detido por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) em 2015, portando maçarico, objeto comumente utilizado para arrombar caixas eletrônicos. Ele é suspeito também de ter envolvido em outros dois assaltos a banco neste ano: no Banco do Brasil, de Itaitinga, no dia 15 de janeiro; e no Santander, da Rua Floriano Peixoto, no dia 20 de janeiro, no Centro de Fortaleza.

Bruno Giovani, natural de Santa Catarina, é especialista em abrir cofres por conhecer a vulnerabilidade do maquinário proveniente da sua cidade-natal e também sabe trabalhar com maçarico. A Polícia ressalta que para a escolha do Banco do Nordeste de Caucaia houve levantamentos e estudo da rotina do gerente por parte dos bandidos.

Táxi

Os presos são Marilena da Rocha Araújo e Francisco Antônio de Sousa Silva. Segundo o comandante do BPChoque, Francisco era o motorista do táxi. "Era um veículo legal, que ele arrendou apenas para a prática de crimes. Era um jeito de despistar a Polícia", explicou.

O delegado Raphael Vilarinho disse que as investigações sobre as ações do bando continuam e as buscas pelos dois homens que fugiram também. "Eles são ladrões de banco conhecidos. Inclusive, agiram contra instituições financeiras cearenses recentemente", afirmou.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.